Arquivo de Tag | Paris

Pausa para o passeio de moda em Paris #3

Hey, moranguinhos!
Ainda falta falar do que mais me chamou atenção nos últimos três dias de desfile da Semana de Moda de Paris, não é? E não pensem que eu esqueci. Este post era pra ter saído ontem, mas aparentemente eu ainda não me recuperei completamente desse ritmo de feriado.

De qualquer maneira, o post está aqui para vocês! Nesses últimos dias de desfile, subiram às passarelas algumas das grifes que me deixam mais surtada – eu e todo mundo, né?!

Alexander McQueen

Já vou começar falando do desfile fabuloso da Alexander McQueen. A grife investiu em modelos com bastante destaque para a silhueta, com cintura bem marcada, uso de franjas e botas com amarrações. Divino! Não sei dizer o que gostei mais no desfile, mas fiquei encantada e quase resolvi fazer um post só sobre a coleção da marca. Sou doida por roupas que marcam bem a cintura por conta dessa sexualidade e do ar clássico que trazem. Usaria sem pensar duas vezes. Se alguém quiser me dar algum vestido do desfile da McQueen, fique à vontade. LOL
A make foi clean ao extremo, dando até um ar mais frio ao rosto das modelos. Não senti falta de uma maquiagem elaborada. As roupas fazem o show por si mesmas.

Chanel

E agora: Chanel. Entendam, amores, porque eu falei que esse post é cheio de grifes de babar. Já comecei com McQueen e Chanel e o nível não cai, não. Bom, quando o desfile da Chanel começou com todo esse ar apocalíptico do cenários e a cartela de cores variando entre branco, cinza e preto, eu fiquei me perguntando se ia gostar – e, cá entre nós, seria uma afronta não gostar de um desfile da Chanel. A questão é que eu sempre espero da grife aquele over de feminilidade e glamour e achei que não fosse ver isso nesse desfile. Erro fatal. Quando os vestidos começaram a aparecer, eu me entreguei completamente ao surto. Chanel é sempre Chanel.
A maquiagem veio suave com foco nos olhos pelo efeito criado pela sombra acinzentada, combinando bem com toda a cena.

Chloé

Acho que o que mais gostei no desfile da Chloé foi o abuso de tecidos leves. É só olhar para os looks e já dá pra ver que são bem confortáveis. Dá vontade de usar! Mas, aí, eu vi algo que não gostei muito, que foi esse look do meio, elaborado em pele de píton. Eu sou bem contra couros, peles e qualquer coisa do tipo, mas suporto. Acho que sempre existe o couro sintético aí pra deixar tudo certo. O problema é que pele de píton, jacaré e coisas do tipo é bem o tipo de coisa que eu não consigo gostar. Simplesmente, não dá.
Achei a maquiagem bem casual, com contorno leve mais escuro nos olhos e fim.

Louis Vuitton

A Louis Vuitton criou todo um BG para o desfile. Nele, as modelos são funcionárias de um hotel fictício e são um tanto quanto fetichistas. No desfile, não faltaram peças curtas, transparências, tecidos diferenciados e cintura bem marcada.
Maquiagem clean, mas também, com esse cap, não ficaria bom pesar algo aí, né?

Miu Miu

A grife Miu Miu apareceu com um ar bem mais maduro do que o de costume. O destaque ficou nos ombros das peças com corte mais puxado pro masculino, mas sem perder o lado lady. As estampas adotadas vieram mais leves, sem pesar no look.
Maquiagem com sobrancelha feita, rímel e lápis. Bem natural.

Stella McCartney

E o que vocês acharam dessa nova proposta de silhueta que a Stella McCartney trouxe pras passarelas? Essa manga mais larga no comprimento foi algo que me agradou bastante. Achei diferente e bonito e como o corpo do vestido está marcando bem as curvas, ficou harmônico. Outra coisa que apareceu bastante foi o corte mais masculino, como o desse modelo em dourado, bem interessante. No fim do desfile, a grife ainda trouxe alguns modelos mais sensuais, marcando bem a curva num estilo “femme fatale”.
O make ficou por conta de rímel e delineador nos olhos e um gloss nos lábios.

Valentino

A cartela de cores da Valentino puxou bastante pros tons mais neutros e nude, sendo a maior parte dos modelos elaborada em tecidos sem estampas na cor marrom ou rosa clarinho. Destaque para a cintura alta – e pro casaquinho do segundo look, que me ganhou completamente.
A maquiagem também ficou bem neutra e casual.

Yves Saint Laurent

Não sei me decidir sobre o que mais gostei no desfile da Yves Saint Laurent. O tecido utilizado na maioria das peças é divino. E, amores, o que é esse terninho, hein? Que coisa mais linda! Também gostei muito do corte do terceiro modelo. É algo que eu super usaria!
Maquiagem clean também com um gloss pra dar brilho aos lábios.

Enfim, acabei de comentar a Semana de Moda. Agora quero ouvir a opinião de vocês! Qual grife preferem? E qual coleção está melhor?

Beijos, amores.

 

Anúncios

Pausa para o passeio de moda em Paris #2

Oi, moranguinhos! Demorei pra voltar a falar dos desfiles da Semana de Moda de Paris porque – vocês sabem – é Carnaval e até mesmo eu, no auge da minha falta de vida social, resolvi dar umas saídas por aí pra curtir a data.

Mas, voltei! E hoje vou mostrar pra vocês o que rolou nos dias 04, 05 e 06 que me chamou mais a atenção.

Cacharel

Vou começar por um desfile que me deixou completamente encantada. Gente, essas estampas florais da Cacharel estavam com tudo e são incrivelmente descoladas e muito bonitas, não acham? O desfile começou com uma série de roupas nessas estampas, depois teve uma fase mais neutra onde prevaleceram roupas em branco e bege e depois voltou com as estampas. Tudo muito bem elaborado, na minha opinião.
A make-up deu total destaque para os olhos com sombra azul, deixando o resto do rosto com um aspecto meio pálido.

Christian Dior

Bom, amores, nunca se espera pouca coisa de um desfile da Christian Dior, né? E a grife não desmereceu a confiança. No desfile, a marca trabalhou bastante com sobreposições e teve dois momentos: um mais carregado de tons escuros e outro mais leve. Nos looks mais leves, destaque para a sandália utilizada (a do look do meio!) que eu achei linda de morrer.
Na maquiagem, degradê com sombra acinzentada e batom vinho. Lindo!

Givenchy

Eis aí outra grife que apostou nas estampas! A Givenchy trouxe estampas florais, mas com uma abordagem bem diferenciada e puxada para o oriental. Fui só eu quem sentiu uma vibe de esoterismo nos looks?
Quanto à make-up, foi bem clean, sem nada pesando, dando um aspecto bem natural.

Hermès

A Hermès chegou com um desfile que eu achei bem interessante e que se dividia em vários momentos. Primeiro, vários looks com aspecto claramente inspirado em arqueiros medievais (algumas modelos inclusive carregavam arcos), onde pesavam os tons de marrom e bege e com bastante peças em couro. Outro dos momentos trazia looks com um ar bem “Sherlock Holmes”, apostando no casacão e cap. E o terceiro momento trouxe um visual meio futurista com cartela de cores mais puxada pro branco e estampas geométricas.
A maquiagem trazia uma sombra discreta e atenção total para o batom vermelho forte.

Issey Miyake

A Issey Miyake chegou com um desfile bem conceitual carregado de formas geométrica, sobreposições e texturas. No primeiro momento do desfile, os looks eram compostos por formas geométricas de papel encaixadas no corpo das modelos, só então dando abertura pros looks elaborados da marca, sem perder o ar conceitual. Arrasou!

Na make, sombra branca no canto dos olhos e traços marcados.

Junya Watanabe

Apostando bastante no preto, a grife Junya Watanabe veio com bastante peças em couro (inclusive as jaquetas com cintura marcada, que achei divinas) e casacos de pele.
Maquiagem com foco na boca pintada com batom vermelho queimado.

Kenzo

A Kenzo veio bem com a cara do frio, apostando na cartela de cores mais fechadas e mexendo um pouco com estampas e maxi-suéteres.
Na make, blush discreto nas laterais do rosto, sobrancelha reforçada em tom marrom e batom em tom queimado.

Pedro Lourenço

No desfile da Pedro Lourenço, foco total na dualidade beleza e sensualidade das mulheres, trazendo looks que evidenciem a silhueta e as curvas.
Make mais focada nos olhos, mas sem pesar muito, deixando a boca bem pálida.

Vivienne Westwood

Um dos desfiles que mais me chamou a atenção, a grife Vivienne Westwood veio com vestidos e macacões estampados e cintura bem marcada. Não consegui encontrar uma referência que confirme, mas essa mistura da maquiagem meios desconstruída com o estilo das roupas me fez pensar em uma inspiração africana. Alguém concorda?

John Galliano

E agora, o momento triste da semana. A grife John Galliano chegou com um desfile superproduzido, chique, vintage e, na minha opinião, magnífico! As sobreposições, os florais discretos e as transparências foram usadas de uma forma ímpar, ressaltando bem a feminilidade. Na maquiagem, foco nos olhos com sombra escura e boca pintada com batom vermelho bem queimado e escuro, além de blush forte para tirar a palidez.
A tristeza do momento se dá pela atual crise da marca, que já enfrentava dificuldades, as quais só tendem a piorar depois da demissão de Galliano da maison Dior devido àquele comentário infeliz sobre Hitler. Bom, a reputação da grife deu uma boa caída e esse desfile pode ter sido a despedida da John Galliano das passarelas.

E o que vocês acharam, moranguinhos? Estão gostando das tendências para o outono 2011?

 

Pausa pro passeio de moda em Paris!

Hey, moranguinhos!
Vocês têm acompanhado a Semana de Moda de Paris com as tendências para o Outono 2011/12?
Eu estava dando uma olhadinha por aí em alguns sites e blogs de moda para ver o que já rolou desde o dia 1º até agora e – vou confessar – gostei de muita coisa que vi. Muita meeeeesmo. Por isso, separei aqui algumas das marcas que desfilaram pra mostrar pra vocês. E, como eu adoro comentar e vocês sabem disso, não vou perder a chance, né?

Ann Demeulemeester

Vou começar pela coleção da Ann Demeulemeester, que, pelo que eu li, foi inspirado em criaturas da fauna mitológica. O preto predominou em todo o desfile, com foco em couro e nos casacos de pele – que eu torço muito para que sejam sintéticos, porque senão vão cair e muito no meu conceito.  A maquiagem das modelos foi algo que eu amei, porque não tinha como ficar mais a cara da coleção, não é? O rosto bem pálido com as sobrancelhas marcadas e ornando com esse cabelo alado deu totalmente o ar mitológico da proposta. Claro que casaco de pele não é algo que dê pra ser usado aqui no Brasil, né, mas eles bombam na Europa e são inegavelmente lindos.

Anne Valérie Hash

A coleção da Anne Valérie Hash foi uma das minha preferidas. Estou babando até agora nos modelos e é algo super usável no friozinho aqui no Brasil também.  O desfile ficou com um ar super elegante e com cores que são bem a cara do frio mesmo. Dentre os tecidos, prevaleceu a seda. Chique demais.
Acho que o que eu mais gostei foi a make das modelos. Moranguinhos, esse cabelo ondulado e preso na lateral com uma sombra fraquinha e o batom vinho bem escuro me conquistaram.  Assim que sobrar uma graninha, vou atrás de um batom desses, porque estou achando que vou abusar dele no inverno, hein.

Balmain

O desfile da Balmain estava com uma aura bem Rock descolado, com estampas em formatos fortes, bastante preto e abuso de tecidos metalizados. E não ficou nada over. Estava tudo na medida certa. A make escolhida foi bem clean com um blush pra tirar a palidez. E o mais legal é que as roupas são bem usáveis, mesmo sendo look de passarela. Consigo imaginá-las nas ruas sem grandes problemas. Inclusive, bem que eu queria uns looks assim…

Dries van Noten

Muitas estampas e texturas resumem o desfile da Dries van Noten. Destaque para o terninho com detalhe em pele que ficou bem chique. E aquela maxi bolsa de couro, hein? Achei linda de morrer e deu todo um ar retrô cheio de glamour.
A make foi super simples. Um batonzinho e uma sombra clara fraca pra dar aquele ar de frio. Não saiu do comum, mas tem tudo a ver com a coleção, na minha opinião.

Gareth Pugh

E saímos de uma coleção mais “lugar comum” para cair de boca no desfile futurista da Gareth Pugh. Predomínio do preto e do couro e silhueta diferenciadas acabou dando bastante impacto, mas ficou um pouco Matrix demais, não é?
Eu não entendi muito bem qual é a da make. Ficou bem look de passarela mesmo, mas dá pra investir em alguns conceitos desfilados. Não me agradou muito.

Guy Laroche

Eu ia começar falando das roupas da coleção da Guy Laroche, mas não deu. Vejo um batom vermelhão assim e fico doida de vontade de usar. Amores, querem coisa mais sexy e chique do que um batonzão bem vermelho predominando numa make?
O desfile foi um dos que eu mais gostei. Os cortes são inovadores e futuristas sem ficar parecendo filme sci-fi e os casacos oversized sempre me conquistam. Tudo muito lindo.

Rochas

A Rochas investiu nos looks sóbrios com destaque para os tons de azul mais escuro. Os modelos ficaram com um corte diferenciado e mais social. O detalhe que eu gostei demais foram esses chapeuzinhos que as modelos usaram na passarela por cima do cabelo preso. Achei ótimo pra dar um pouco de graça a algo que ficou até que comum.

Nina Ricci

Ai, amores… Pausa! Eu tive que deixar a Nina Ricci pro final e não teve jeito nem santo que me fizesse mudar isso. O melhor sempre pro final, não é? E eu sou completamente doida pela marca, além de ter achado o desfile divino. Esbanjou elegância com uma aura retrô apaixonante que não deixou de mostrar o romantismo típico da grife. Estou completamente apaixonada!
A make ficou com o batom claro bem marcado numa pele mais pálida e o cabelo semi-preso. Discreto e romântico. Vai dizer que não?

Bom, nem preciso dizer de novo qual foi a minha favorita, né? Mas, queria saber qual foi a de vocês, amores.
E não deixem de acompanhar o blog para mais sobre a Semana de Moda de Paris e outros assuntos que a gente sabe que vocês adoram.

“As-tu Dejá Aimé?”

Moranguinhos, eu estava com tanta saudade de vocês! A semana passada inteira foi uma grande correria pra mim, no bom sentido, já que fui todas as noites ao teatro ver os meus orgulhos apresentarem suas lindas peças. Eu acho que nem sei dizer o quanto sinto falta do curso de teatro. Se eu ainda morasse aqui em Bauru, com certeza jamais teria largado isso.

Mas, enfim, agora que as peças acabaram, eu estou de volta. Já vi que a Bru cuidou muito bem do blog enquanto eu estive fora. Estou babando até agora naqueles modelitos do tapete vermelho do SAG que ela postou aqui.

Como eu não preparei nada para o post de hoje, resolvi indicar mais um filme que eu gosto demais e que acho que todos vocês deviam ver.

Eu amo musicais e Les Chansons D’Amour (2007) é um dos meus favoritos. Além de ser em francês (o que deixa as músicas muito lindas), o filme é todo tranqüilo do jeito que eu gosto e com um conflito super interessante entre amor duradouro e passageiro.

No filme, o casal Ismaël (Louis Garrel) e Julie (Luidivine Sagnier) resolvem embarcar em um ménage à trois para animar a relação de anos.

Depois de algumas coisas acontecerem na história – que eu até poderia contar pra vocês, mas prefiro que vejam -, surge o meu personagem preferido, o Erwann (Grégoire Leprince-Ringuet), um jovem que se torna muito importante para Ismael e que é essencial para o conflito do enredo.

Escrito e dirigido por Christophe Honoré, e com músicas de Alex Beaupain, o filme tem músicas lindas e as vozes dos atores são incríveis e combinam demais com toda a aura da produção.

Encontrei o clipe para vocês darem uma olhada:

Amores, vale muito a pena. Eu já devo ter assistido esse filme mais de cinco vezes e nunca me canso.

Les Chansons D’Amour (2007), dirigido por Christophe Honoré, é indicação do Morango no Mel!