Ó mulheres!

Uma opção pra lá de genial para quem gosta de curtir um bom programinha, de se divertir, de rir a beça e para quem tiver a oportunidade, é claro. Estou falando da peça de teatro Mulheres Alteradas que teve sua estréia no dia 16/07/2010 e voltou aos palcos neste ano com início no dia 08/01 e vai até o dia 27/02/2011.

A peça encenou pela primeira vez no palco, um dos maiores fenômenos editoriais da Argentina, com mais de 300 mil livros vendidos, naquele país, e best-seller em diversos outros países. O texto é a adaptação de Andrea Maltarolli (novelista da TV Globo – que faleceu em 2009, após o grande sucesso de sua trama “Beleza Pura”), de cinco volumes de Mulheres Alteradas, da chargista e cartunista argentina Maitena Burundarena. Ela conquistou leitores mundo afora com suas tiras sobre o universo feminino e popularizou uma personalidade incomum. Nada a ver com a mulherzinha que só reclama ou se julga incompreendida. Ela tem a exata noção do quanto pode perturbar o sexo oposto quando se “altera”. Se Maitena transmite isso nas charges, a montagem dirigida por Eduardo Figueiredo é fiel ao espírito da desenhista.

A peça mapeia o discurso sobre a feminilidade presente no mundo contemporâneo dessas mulheres, assoladas por cobranças e demandas desgastantes e, às vezes, quase impossíveis de atender simultaneamente: trabalhar o dia todo, dentro de casa idem (e de forma exemplar!), serem mães maravilhosas, amantes insuperáveis e manter as boas formas física e estética. Isso, sem contar com a necessidade de ostentar uma vida emocional serena, equilibrada, a toda prova.

As atrizes Luiza Tomé e Mel Lisboa agora dividem o palco do Teatro Procópio Ferreira na capital paulista com Adriane Galisteu (substituindo Daniele Valente) na comédia. O ator Daniel Del Sarto (substituindo André Bankoff) também entra no elenco, fazendo parte dessa imensa e divertida atmosfera feminina, composta por três amigas para lá de cativantes e engraçadas.

Elas representam as figuras femininas, que em geral não possuem nomes da quadrinista argentina. Essas personagens espelham características de uma mulher universal, cujos assuntos preferidos são corpo, moda, homens, amores, família, filhos, trabalho.
Porém, na adaptação brasileira, elas ganham nomes e personalidades. Lisa (Adriane Galisteu) é separada do marido, mãe de um único filho, inteligente, com preocupações fúteis, porém, em crise por causa de um nódulo que apareceu em um dos seios. Alice (Mel Lisboa) é uma mulher solteira, vive no “mundo da lua”, mas não desiste de encontrar o seu grande amor. Por última, Norma (Luiza Tomé), uma executiva pragmática, casada, com dois filhos e, agora, se depara com uma terceira gravidez. A personagem também marca a volta de Luiza Tomé ao teatro, depois de 12 anos.
Já Daniel Del Sarto incorpora vários personagens masculinos sem nomes definidos e repletos de personalidade, os quais prometem criar uma identificação imediata com os homens presentes na plateia.

No palco, além dos atores, a peça Mulheres Alteradas conta com a “Banda Alteradas”: um trio feminino, formado por excelentes musicistas, que executa canções instrumentais, ao vivo, compostas com exclusividade para a montagem.
A coreografia também merece destaque: Foi criada por Henrique Rodovalho, um dos coreógrafos mais premiados do Brasil, fundador da Quasar Cia. de Dança. Já a direção musical leva o nome da experiente pianista Elaine Giacomelli.

Maitena negou a venda dos direitos de sua obra ao cineasta Pedro Almodóvar. A autora também não concedeu os direitos a produtores de cinema do México e dos EUA. Os palcos da Argentina, Espanha e México também não foram contemplados. O Brasil, portanto, será o primeiro país a exibir uma adaptação da obra de “Mulheres Alteradas” para o teatro, direitos cedidos à produtora manhas & manias de eventos, que tem como produtor e sócio, o ator Maurício Machado.

Adorei ver a peça. Eu e o meu namorado demos boas risadas! Quem for ou estiver em São Paulo, vale a pena conferir. Bom, só tem um probleminha.. mulheres, preparem-se para escutar dos homens: “Está alterada, é?”. Eu que o diga! HAHA

(trecho de Mulheres Alteradas do ano de 2010, com Daniele Valente interpretando a personagem Alice e Mel Lisboa, Lisa)

MAIS ALGUMAS INFORMAÇÕES: 

Local: Teatro Procópio Ferreira (Rua Augusta,2823 – São Paulo/(11)3083-4475)

Quando: (Sex, Sáb e Dom) Acontece sexta e sábado às 21h30 e domingo às 19h00.

Valores: R$ 50,00 (sexta e domingo) e R$ 70,00 (sábado). Bilheteria: 14h00 às 19h00 (terça a quinta); a partir das 14h00 (sexta a domingo). De 08/01 a 27/02.

Duração: 80 minutos

Censura: 12 anos

(dados dos sites: http://vejasp.abril.com.br/teatro/mulheres-alteradas e http://www.teatroprocopioferreira.com.br/em_cartaz_mulheresalteradas.html)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s